sábado, 8 de abril de 2017

E A INTERNET CHEGA AO BRASIL ...


A internet surgiu na década de 60, desenvolvida com objetivo de auxiliar a Guerra Fria, uma disputa de poderes pela comunicação, desencadeada por dois países, os Estados Unidos, contra a então União Soviética.

No entanto a história da internet no Brasil demorou um pouco mais para abrir seu caminho e espaços no meio tecnológico. No Brasil a internet surgiu a partir de setembro de 1988 quando no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), localizado no Rio de Janeiro, conseguiu acesso à Bitnet, através de uma conexão de 9 600 bits por segundo estabelecida com a Universidade de Maryland. As conexões inicialmente foram feitas em setor acadêmico e somente anos depois foi destinada a usuários domésticos e empresas.

Dois meses depois foi a vez da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) que também ligou-se à Bitnet, por meio de uma conexão com o Fermi National Accelerator Laboratory (Fermilab), em Chicago. Algum tempo depois, a FAPESP criou a rede ANSP (Academic Network at São Paulo), interligando a Universidade de São Paulo (USP), a Universidade de Campinas (Unicamp), a Universidade Estadual Paulista (Unesp) e o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT). Mais tarde, ligaram-se à ANSP a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS).

Em maio de 1989, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) também ligou-se à rede Bitnet, através da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), constituindo-se no terceiro ponto de acesso ao exterior.  Em 1981 foi fundado o Ibase (Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas), autônomo e apartidário o Ibase sempre teve como um de seus objetivos a disseminação de inframções a sociedade civil. Isso incluía a democratização do acesso às redes de computadores no país.

Em meados da década de 80, o Ibase integrou-se a um projeto internacional chamado Interdoc. Sua finalidade era o uso do correio eletrônico para o intercâmbio de informações entre ONGs (organizações não-governamentais) de todo o mundo. Participavam do projeto dezenas de entidades da África, América Latina, Ásia e Europa. Contudo, o uso desse sistema ainda era extremamente caro. Fazia-se necessário encontrar meios alternativos para facilitar essa conexão internacional e reduzir os custos de comunicação. 

Alternex, um serviço internacional de mensagens e conferências eletrônicas pioneiro no país. Através do Alternex era possível trocar mensagens com diversos sistemas de correio eletrônico de todo o mundo, incluindo a Internet. O Alternex foi, portanto, o primeiro serviço brasileiro de acesso à Internet fora da comunidade acadêmica.

O BRASILEIRO QUER SE CONECTAR

A situação permaneceu assim até meados de 94, quando a Internet ultrapassou as fronteiras acadêmicas e começou a chegar ao ouvido de muitos brasileiros. No dia 17 de julho daquele ano, o jornal Folha de S.Paulo dedicou a edição dominical do seu caderno Mais! à “superinfovia do futuro”. E anunciava: “nasce uma nova forma de comunicação que ligará por computador milhões de pessoas em escala planetária”.

Quase no final de 94, o governo brasileiro – que até então pouco tinha feito pela Internet no Brasil – divulgava, através do Ministério de Ciência e Tecnologia e do Ministério das Comunicações, a intenção de investir na nova tecnologia. A criação da estrutura necessária para a exploração comercial da Internet ficou a cargo da Embratel e da RNP.

No final de 94, a Embratel iniciou seu serviço de acesso à Internet em caráter experimental. Cinco mil usuários foram escolhidos para testar o serviço. Alguns meses depois, em maio de 95, o acesso à Internet via Embratel começou a funcionar de modo definitivo. Mas a exclusividade da Embratel no serviço de acesso a usuários finais desagradou à iniciativa privada. Temia-se que a Embratel e outras empresas de telecomunicações dominassem o mercado, criando um monopólio estatal da Internet no Brasil.

Diante disso, o Ministério das Comunicações tornou pública a posição do governo de que não haveria monopólio e que o mercado de serviços da Internet no Brasil seria o mais aberto possível.

Ainda nesta época, foi criado o Comitê Gestor Internet Brasil, com o objetivo de traçar os rumos da implantação, administração e uso da Internet no país. Participariam do Comitê Gestor membros do Ministério das Comunicações e do Ministério de Ciência e Tecnologia, representantes de provedores e prestadores de serviços ligados à Internet e representantes de usuários e da comunidade acadêmica. O Comitê Gestor teria ainda como atribuições principais: fomentar o desenvolvimento de serviços da Internet no Brasil, recomendar padrões e procedimentos técnicos e operacionais, além de coletar, organizar e disseminar informações sobre os serviços da Internet. 

Apesar do mercado promissor, as coisas continuaram assim, meio capengas, por todo o ano de 95. A Embratel e o Ministério das Comunicações não facilitavam as iniciativas dos provedores privados: a estrutura necessária não estava totalmente implantada e havia indefinições sobre os preços a serem cobrados. Mesmo assim, uma dezena de provedores já operava até o final de 95 conectados à Internet através da Embratel. Outros, como a IBM e a Unisys, começaram a implantar suas próprias conexões internacionais.

A INTERNET DECOLA NO PAÍS

O grande boom da rede aconteceu ao longo do ano de 1996. Um pouco pela melhoria nos serviços prestados pela Embratel, mas principalmente pelo crescimento natural do mercado, a Internet brasileira crescia vertiginosamente, tanto em número de usuários quanto de provedores e de serviços prestados através da rede.

Uma das provas de que a Internet realmente havia decolado no Brasil veio no dia 14 de dezembro de 1996, quando Gilberto Gil fez o lançamento de sua música Pela Internet através da própria rede, cantando uma versão acústica da música ao vivo e conversando com internautas sobre sua relação com a Internet.

sábado, 25 de março de 2017

COMO ESCOLHER O HOSTING PARA O SEU SITE


Com a expansão da web, há um grande número de novos empreendedores, blogueiros ou profissionais online que desenvolvem diversos tipos de web sites para seu negócio e precisam de uma empresa de hospedagem de sites – mais conhecida como hosting, que ofereça a melhor opção de tecnologia e servidores para mantê-lo no ar. Dentre as milhares de opções disponíveis, sempre vai ter aquela que só promete o bom atendimento e funcionalidade, mas não conseguem cumprir.

Para resolver essa questão de qual empresa deve-se contratar para a hospedagem de site, há um leque de características a levar em consideração na hora de escolher a empresa de hosting que melhor se encaixe em sua necessidade, além de oferecer o melhor custo-benefício e atendimento – afinal, se você contratar um serviço com o atendimento precário ou sem contato com o público, será difícil um suporte de pós-venda.

Mas, você deve estar se perguntando “então no que devo levar em consideração na hora de escolher um hosting?”, então você poderá conferir abaixo algumas dicas:

SUPORTE AO CLIENTE
O bom atendimento é imprescindível principalmente para quem é novato na questão de hospedagem de sites, pois neste caso, as empresas brasileiras levam vantagem devido à maior facilidade de comunicação. Por isso, opte pelas nacionais com suporte e atendimento em português;

UPTIME
É comum o anúncio de “garantia de uptime” na página de hosts, pois é essa informação sobre a efetividade dos servidores, e o percentual que a página ficará online na web, sem problemas ou interrupções;

PAINEL DE CONTROLE FUNCIONAL
O que mais tem atualmente são empresas que não oferecem a funcionalidade e um sistema que permite que o usuário tenha o acesso prático e fácil de usar. Através dele, é possível configurar itens como criação de contas de e-mail, registros DNS, banco de dados do site e gerenciador de arquivos. Escolhendo o melhor painel, evita-se uma dor de cabeça e mais dinheiro gasto de forma desnecessária.

Quer mais uma dica? 

Preste atenção na contratação da melhor empresa para seu site. O serviço de hospedagem interfere diretamente no sucesso de sua página, tanto na questão do tempo online na rede sem falhas ou quedas, quanto o tempo de carregamento da página, além de monitorar o tráfego para não atingir a capacidade do servidor.

Como encontrar uma empresa de hospedagem idônea que possua estes benefícios?

Além de tudo isso que colocamos como prioridade na hora de escolher uma empresa de hosting, é preciso também olhar o custo-benefício e o posicionamento da empresa no mercado.

A Gitanes Digital, possui uma política de facilidade e democratização de sites, ajudando a todos o egresso no mundo virtual, carregando um forte desejo de ensinar.

Entre as facilidades, a Gitanes Digital conta com o painel de controle construído totalmente em português, bem como o suporte ao cliente, o destaque vai para a parceria com a UOL HOST

Os maiores destaques do serviço da Gitanes Digital

Gitanes Digital trabalha da seguinte forma para garantir que seu site permaneça no ar:

Garantia de melhor custo-benefício do mercado, disponibilizando os serviços que você precisa para hospedar o seu site. Nada a mais e nem a menos;

Disponibiliza servidores com diversas opções de espaço em disco e 99,9% de garantia de uptime, que é o melhor serviço de garantia que o seu site permaneça no ar. Os servidores da Gitanes Digital/UOL estão localizados tanto no Brasil quanto nos Estados Unidos, garantindo a precisão e qualidade do carregamento de página e suporte para os picos de tráfegos.

Essa dica é para garantir que você tenha acesso ao melhor serviço de hospedagens de sites, portanto, esperamos que as dicas ajudem a escolher o melhor host para seu negócio online.


terça-feira, 1 de novembro de 2016

COMO CRIAR UM DOMÍNIO PARA INTERNET


Um domínio é o nome que é usado para localizar e identificar um endereço de uma página ou website na internet. Antigamente quando não existiam os domínios tudo era feito através de números grandiosos, já que os computadores trabalham com números. Justamente para que não precisássemos decorar e digitar gigantescos números que o domínio foi criado.
Ao criar e registrar um domínio, você automaticamente diz ser responsável por ele e pelo que nele está inserido, como todos os conteúdos do site.

Para registrar um domínio primeiramente você deve escolher a extensão a ser usada, que poderá ser .com, .com.br, .net.br ou .net entre outros.

Claro que tudo depende do conteúdo que será disponibilizado no site, normalmente os mais comuns são .com.br e .com, indicados para sites comerciais. Outros são mais específicos como .gov.br ou .jus.br, que exigem documentos mais específicos para o seu registro.

A Gitanes Digital além de hospedar o seu website, também poderá lhe dar todo suporte na escolha e registro de seu domínio.

A IDENTIDADE VISUAL IDEAL


É essencial que a empresa tenha uma identidade visual, ela passará uma imagem mais profissional para seu negócio/empresa e fará com que a empresa se destaque em meio à concorrência. Em razão de sua importância a Identidade Visual de uma empresa precisa ser bem estudada e trabalhada. Ela vai além do logotipo, passando por materiais básicos de papelaria como cartão de visita, papel timbrado, envelope e website, até chegar a uniformes e frota.

Uma Identidade Visual faz com que sua empresa seja lembrada por um elemento, um símbolo ou até mesmo pela cor. É por ela que o cliente reconhece como é sua empresa e se bem feita mostra a personalidade de sua marca. 

Para que sua empresa seja reconhecida pelos seus clientes é necessário conhecer bem o público que se quer atingir e ter uma comunicação que fale diretamente com ele, porque quando precisar de um produto ou serviço ele ira procurar a empresa que vem imediatamente a sua mente.

A ORIGEM DO TERMO 'WEBSITE'


Usamos este termo todos os dias e muitos não sabem de onde resulta a palavra Website. 

A palavra resulta da justaposição das palavras inglesas web (rede) e site (lugar). 

No contexto das comunicações eletrônicas, website e site possuem o mesmo significado e são utilizados para fazer referência a uma página ou a um agrupamento de páginas relacionadas entre si, acessíveis na internet através de um determinado endereço.

No Português Europeu é também comum utilizar o termo 'sítio da internet' ou 'sítio eletrônico'.

Há diversos tipos de websites disponíveis na internet: institucionais, informativos, pessoais, comunitários, etc. Cada website possui um objetivo, de acordo com o público ao qual é direcionado. 

Na página ou páginas de um website podem ser colocados textos, imagens, vídeos ou animações digitais. Estas páginas são carregadas através do protocolo de rede HTTP (Hypertext Transfer Protocol) e são visualizadas através de um navegador (browser).
Por isto sugerimos sempre uma reunião sem compromisso com um profissional para sanar dúvidas e entender os detalhes das ferramentas, pois desta forma você ficará seguro do que você vai escolher para a sua empresa.